sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Estrelas ou Relâmpagos

      Vivo - e todos nós vivemos - em meio a estrelas e relâmpagos. Na realidade esta afirmação pode lhe parecer um tanto estranha, mas é pura realidade quando se convive com pessoas de talento estelar e pessoas que pensam ter esta condição. Se todos pararmos um pouco para pensar, efetivamente dividimos nossa vida entre os dois: Estrelas e Relâmpagos.
       Os primeiros podem ser comparados até como verdadeiros cometas. Com brilho e cauda. Gente que é gente sabe exatamente o que está fazendo neste planeta, como sua estrela pode brilhar em benefício de terceiros e, principalmente, de si próprio. Verdadeiros deuses de sabedoria.
      Para ser uma estrela é necessário centramento e perfeita convicção de que somos um ímã. Funcionamos como tal, pois tudo o que projetamos recebemos de volta.
       Não há como, portanto, ser estrela e ter o Ego alterado. Ego alterado é coisa de relâmpago.
      Impossível ser estrela e não saber explorar a mente das pessoas que trabalham em nossa volta. Explorar a mente significa, evidentemente, dividir com elas uma boa decisão. Partilhar com elas os louros de tudo o que foi feito em beneficio mutuo; ter a sabedoria para se multiplicar ideias utilizando sempre a mente que está a nosso serviço. Devemos aceitar o não como advertência em vista de eventual futuro erro ou equívoco, e nunca como uma negativa à nossa ideia; jamais criar uma sobreposição de negativismo, mas considerar isso simplesmente como alerta.
      Ser estrela exige, acima de tudo, gestos comprometidos com a humildade; bondade aflorando em todos os instantes, em cada pensamento e em cada relacionamento. Competência para se dizer não quando se deve dizer não e igualmente sabedoria para concordar, falando sim quando se deve dizer sim. Uma verdadeira estrela tem brilho próprio, mas se beneficia do brilho das outras para que todas possam desfrutar do conjunto e assim construírem uma verdadeira constelação.
      Os segundos, os relâmpagos, que pensam que são estrelas, na realidade não passam de imbecis egocêntricos travestidos de falsa bondade. Buscam, não importando o preço ou os ombros dos colegas, os louros com exclusividade para alimentar seu próprio Ego. Esquecem que quando chegam incutem medo e jamais serão respeitados. Não conseguem conviver em equipe.
      Os relâmpagos efetivamente brilham, mas nós procuramos nos afastar deles porque geralmente são prenúncios de tempestades. Metem medo, geram pavor e sempre são seguidos de estrondos e chuvas fortes. Invariavelmente, criam inundações e desabamentos de encostas. Sua energia é tão negativa que “inunda” as nossas mentes com pensamentos e atitudes poluídas.
      As estrelas não, elas podem dividir sua beleza com a LUZ DA LUA, porém jamais deixamos de admirar cada uma em separado. Jamais uma estrela consegue tirar o brilho da outra. O conjunto é que cresce em beleza.
      Os relâmpagos são exclusivistas e donos da verdade. “Infalíveis e Sábios”. Não escutam e, não importa o que custe e em quem pisem, vão atrás de seus objetivos usando métodos altamente questionáveis. Não admitem ser contrariados e sempre se posicionam como os únicos que brilham.
      Portanto, Estrela não mete medo, o que mete medo é relâmpago. Cabe a cada um de nós a escolha de como pretendemos levar a nossa vida: Estrela ou Relâmpago?

Fonte: http://gotinhasdesabedoria.blogspot.com/

 

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Muito mais que 5inco minutos - #LivrosQueAmo

     Esse foi o primeiro livro que li nesse ano.
   Quando fui à Bienal do Livro no Rio, em setembro de 2015, esse livro da Kéfera estava sendo lançado, o stand da editora estava lotado e eu acabei não comprando o livro naquela ocasião.
   O tempo passou e meu projeto "leitora 2016" começou a "nascer" no final do ano, justamente na época em que começamos a imaginar e planejar as realizações para o ano que vem chegando. Aí, logo no dia 2 de janeiro, em um passeio ~despretensioso~ pela livraria do shopping, decidi que era o momento. Comprei o livro, fui pra casa e no dia seguinte já tinha terminado a leitura. Oi? Já acabou, Jéssica? Quero mais!!!
    O livro conta algumas experiências de vida da Kéfera com relação ao bullying, sua infância e adolescência e ela conta também aquele episódio da depilação a dois {que ela inclusive já contou em algum de seus vídeos haha}.
     Minha opinião: achei o livro bem fácil de ler, com alguns fotos engraçadinhas da Keh e quase dá pra escutar a voz dela narrando todas aquelas histórias. Se você quer um livro pra terminar de ler rapidinho, é esse. Te prende do início ao fim, sem momentos de tédio. Os risos estão garantidos!

Já quero o segundo!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Falando sobre o Blog

       Hoje vou responder uma Tag aqui no blog.
       Fui indicada pela Thais Vasconcelos que tem um blog super lindo, e estou feliz por participar e poder contar um pouco mais sobre o blog e sobre mim. Vamos lá?
11 fatos sobre mim:

1. Sou téc. em segurança do trabalho

2. Minha viagem dos sonhos será para Londres

3. Moro sozinha desde 2014

4. Amo ir à região da 25 de março em SP para comprar coisinhas diversas

5. Sou fã da Turma da Mônica

6. Sou canhota

7. Sou tia da Anna Júlia (4) e do João Miguel (1)

8.Amo batom vermelho.

9. Sonho em voar de balão.

10.Não gosto de usar roupa preta.

11. Sei fazer ponto cruz.

Agora vou responder as 11 perguntas feitas pela Thais:
1. Qual a importância do blog para você?
    Hoje o Sonhando com Mapas faz parte da minha vida tanto quanto o meu trabalho, o curso. Ele é o pedaço da minha vida que eu compartilho com o mundo.
 
 2. Qual é a sua rotina com o blog?
     Todos os dias tiro um tempinho para cuidar do blog: separo imagens legais que encontro na internet, trabalho em mudanças no layout, escrevo os posts. Não publico todos os dias, mas estou sempre aqui, cuidando do blog e também da página do Sonhando com Mapas no facebok, que sofreu uma reformulação agora no início do ano. Crio conteúdos diferentes para a fanpage, então tento dividir meu tempo entre eles, além do meu trabalho e das aulas. Cansa, mas vale a pena.

3. Quem ou o que te inspirou a criar o blog?
    Bom, minha primeira experiência com blog acho que foi em 2007 e de lá pra cá escrevi, parei, e voltei com tudo. Minha inspiração vem de várias blogs que eu conheci durante esse tempo, mas o que me inspira a continuar atualmente são meus leitores, que sempre me apoiam e incentivam.

4. Quais são suas metas para 2016?
    Ler mais livros, viajar mais, fazer atividade física e ver o blog crescer.

5. Qual foi o primeiro blog que você conheceu?
    Faz tanto tempo que leio blog que nem lembro qual foi o primeiro.

6. Qual é sua idade?
    29 anos

7. Seus amigos te apoiam com o blog?
    Sim. Alguns acompanham o blog, dão sugestões de assuntos e me dizem pra continuar escrevendo.

8. E sua família?
    Minha família não é muito "conectada", então acho que eles não entendem muito o porquê as pessoas escrevem em blogs, mas quem conhece o meu blog me dá muito apoio.

9. Qual é o seu maior objetivo com o blog?
    O blog foi criado assim que eu me mudei para longe da cidade onde sempre morei. Tive que deixar a família e os amigos de sempre e então criei o Sonhando com Mapas para dividir um pouco dessa nova fase da minha vida com eles.

10. Qual é o seu lema de vida?
      Se você é capaz de sonhar, você é capaz de realizar. Apesar de muitas pessoas não acreditarem que é possível realizar sonhos, eu acredito, pelo menos nos meus sonhos. As pessoas acham que é impossível porque ficam apenas sonhando, não tomam nenhuma atitude para realizá-los. É preciso olhar para seus objetivos e pensar: qual o caminho preciso percorrer para chegar lá? O que preciso fazer para que isso se realize em minha vida? E mãos à obra!

11. O que te motiva a seguir em frente?
      Meus sonhos. Minha vida é movida pelos meus sonhos, pela busca em realizá-los. Quero fazer algo, trabalho, trabalho, trabalho, até conseguir. Depois da felicidade da conquista, começo a trabalhar em prol de outro sonho e assim vou levando a vida.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Só queria você aqui

   
Queria te mandar uma mensagem dizendo que comprei livros novos, que comecei a fazer aulas de natação e estou gostando, que voltei a fazer artesanato, que comprei um chinelo lindo da mulher maravilha.
    Queria te convencer a experimentar o Frappuccino de chocolate, minha nova bebida favorita do Starbucks
     Ou para um café da tarde naquela padaria da esquina. 
     Ou lá em casa. 
     Com direito a pão de queijo, geleia de morango e pastel de Belém. 
     E alguns beijos.
    Queria te convidar para um filme abraçadinho num dia desses de chuva. E uma pipoca quentinha ou uma panela de brigadeiro meio queimado, porque eu não sei muito bem como fazer brigadeiro.
    Queria poder chorar no seu ombro quando as coisas ficassem difíceis pra mim, e ficar no seu abraço até a dor passar.
   Você ainda está no meu coração, na agenda do meu telefone, naquela música que eu tenho me esforçado muito pra não ouvir. Você é a pessoa com quem eu queria dividir todas as minhas conquistas, até as mais insignificantes, só que eu não posso, você não está mais ao meu alcance. Os dias não tem sido fáceis sem você, mas eu estou superando. Estou ficando bem aos poucos, só que de todos os meus desejos, eu só queria você aqui.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Volta ao Mundo: a decoração do meu aniversário

       Hoje vou mostrar pra vocês um pouco da decoração da minha festa de aniversário, que foi dia 19 de dezembro. Eu sei que demorei quase um mês pra fazer esse post {afinal, depois da festa teve Natal, Ano novo, viagens, arrumação de casa, artesanato, etc}, mas aí estão as recordações desse dia tão especial.
     Escolhi o tema "Volta ao Mundo" e na decoração eu usei um pouquinho de coisas de vários países.  Acabou ficando bem bonita essa combinação de coisas de vários países, com um mapa mundi ao fundo. Aluguei a mesa branca e os dois suportes espelhados onde estão os globos terrestres. O restante são objetos meus mesmo, alguns eu já tinha e outros, comprei especialmente para a festa, mas agora estou usando para decorar minha casa.
      E esse bolo de Kit Kat? Foi feito pela minha mãe e eu acabei trazendo para São José e compartilhando com alguns amigos do trabalho que foram na minha sala me dar os parabéns atrasado na segunda-feira haha. Todos comeram com cara de quero mais!
O famoso Big Ben {que é o nome do sino e não do relógio!} foi o ponto turístico que escolhi para ficar em cima do bolo e representa a minha viagem dos sonhos.
        Os globos são infláveis e eu comprei em uma loja de produtos importados super fofa e que eu não sei o nome {me perdoem!}, mas fica na Rua 25 de Março, em São Paulo. Lá também comprei a Cabine telefônica de Londres, aquela vermelha, que na verdade é um porta joias musical. 
       A torre Eiffel e o Big Ben eu comprei em uma lojinha de artigos importados aqui em São José dos Campos. Os mini globos, na verdade, são aquelas bolinhas de fisioterapia, acreditam? Achei por R$3 em SJCampos.
      As tulipas vermelhas que representam a Holanda foram feitas pela Carol, que faz artesanatos lindos e criativos usando tecido e feltro. As matrioskas fofas representadas em uma moldura e o pão de mel, um dos doces mais populares na Rússia, versão Brasil.
      Essa mini mala eu comprei pela internet pois achei a cara da minha festa e coloquei marshmellow nas mesmas cores.  A etiqueta eu mesma fiz e imprimi em papel adesivo. Foi a lembrancinha para os meus amigos! Para representar os EUA: hambúrguer, ou melhor, finiburguer. Esses são da marca Fini e quase sumiram da mesa antes de terminar a festa haha
       Teve biscoito da sorte, sim! Com o desenho dessas fofas bonecas japonesas ao lado. A London Bridge na verdade é um aparador de livros. Como eu precisava mesmo de um aparador para meus livros, escolhi um bem legal.
      Essa pirâmide é um pedacinho do México que eu trouxe da viagem que fiz em agosto pra lá e que entrou também na decoração.

Se você gostou de algum objeto, seguem os links:
Aparador de livros London Bridge da Mania Criativa
Tulipas de tecido e feltro da Carol
Bala de gelatina em forma de Hambúrguer da Fini
Marshmallow torção azul da Fini
Biscoito da Sorte (marca Hakuna Matata) da loja Hachi8
Decoração e Brinquedos para festas da Aline
Fotografia do Leonam Nogueira
 

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Você disse tudo, eu não disse nada

       Esse não é um texto que pretende ser longo, afinal, parece que não há muito a dizer. Você disse tudo, e eu não disse nada, eu sei. Eu aprendi que quando a gente não tem nada de bom pra falar, é melhor ficar quieto. E eu fiz isso.
      Eu realmente não tinha nada de bom pra dizer sobre aquelas frases que eu li. O que dizer quando sua amizade, aquela que você estava cultivando com tanto cuidado, simplesmente é atirada no lixo? Porque foi isso que eu vi acontecer diante dos meus olhos... Eu sei que eu andava meio confusa com esses sentimentos. Eu sei. Eu sei que eu sou confusa, talvez na maioria das vezes, mas meus sentimentos são os melhores. Só que os meus melhores sentimentos foram vistos pela última vez dentro daquele saco preto que foi jogado dentro do caminhão de lixo, depois prensado bem forte de modo que tudo fosse esmagado e quebrado em mil pedaços, até finalmente ser despejado num lugar distante, junto com outras coisas que as pessoas não querem mais. Pra onde vai tudo que é rejeitado.
      Foi isso que eu senti. E ainda sinto. E vou sentir pelos próximos dias. Talvez demore algumas semanas. Minha única esperança é que o tempo faça o seu trabalho direitinho e leve embora todas essas sensações ruins que hoje parece que vão me sufocar. E se eu soubesse que tudo acabaria assim, nesses termos, que as coisas simples se tornariam problemáticas tão rapidamente, eu teria me aproximado menos. Eu juro que teria.
      Eu ainda não sei como vai ser quando eu te encontrar de novo, quando você estiver diante dos meus olhos outra vez. Não sei o que eu vou sentir e nem quais serão minhas reações. Se vou chorar de novo. Se vou conseguir olhar nos seus olhos. Eu não sei. Eu não sei mesmo. Só sei que está doendo muito agora e que não há nada de bom pra dizer. Pelo menos nada que possa ser dito em apenas algumas frases. Aí é melhor não dizer nada e simplesmente esperar que o tempo passe.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Já acabou, Jéssica?

     
Essa foi uma das expressões que mais escutei no final de 2015 e... finalmente acabou! haha
      Hoje, na primeira segunda-feira do ano {e primeiro post do ano}, vim compartilhar com vocês algumas das minhas METAS para 2016.
     No ano passado eu vivi meio despreocupada demais, perdi um pouco o controle da situação. Não que eu não tenho feito nada de bom, pelo contrário: foi um ano incrível. Apesar disso, acho que poderia ter realizado muito mais coisas se tivesse me dedicado mais, então, para 2016 decidi estipular algumas metas, coisas simples, mas que vão me dar um norte para viver esse novo ano aproveitando todas as oportunidades.
Vamos lá?

1. Ler pelo menos 6 livros no ano
      Parece pouco pra você? Bem, alguns livros em leio bem rápido, e outros demoro muito, então fiz uma média razoável e é claro que eu pretendo bater de longe essa meta. Comecei o ano lendo o livro "Muito mais que 5inco minutos", da Kéfera Buchmann. O livro é super divertido, assim como ela, e de uma leitura bem rápida e fácil.
      Os próximos da lista? Espero ler "Quem é você, Alasca?" do Jonh Green e alguns títulos das autoras de Um Ano Inesquecível: Bruna Vieira, Thalita Rebouças, Paula Pimenta e Babi Dewet.

2. Assistir a pelo menos 4 filmes por mês
      Essa é também uma meta bem abaixo da meta da maioria das pessoas, mas no ano passado eu praticamente parei de assistir filmes. Fui ao cinema pouquíssimas vezes e, em casa, praticamente não me dedicava à isso. Em 2016 quero voltar à rotina que eu tinha antes de me mudar para SJC.

3. Escrever 10 posts por mês
      Essa é uma das metas aqui para o blog. No ano passado eu escrevi bastante e em 2016 quero escrever mais e mais. Me faz muito bem!

4. Ir à Bienal do livro em São Paulo
      No ano passado estive na bienal do livro no Rio e gostei muito. Antes de disso eu só tinha ido uma vez, ainda criança... faz tempo! haha
       Amei estar na bienal, consegui autógrafos, fotos com autores e esse ano será em Sampa, pertinho. Aguardemos!

5. Fazer uma viagem internacional
      É uma viagem internacional por ano, Jéssica? Sim, minha gente! haha
     Em 2015 fui para a Cidade do México e nas próximas férias o plano é fazer outro passeio por terras estrangeiras. E não me venham como o mimimi de que "no Brasil tem lugares tão bonitos". É verdade que existem lugares bem bonitos no Brasil, mas hoje, no momento atual da minha vida, eu quero ter contato com outras culturas, outros costumes, outra gastronomia, outro idioma. Eu gostei tanto do México que quero viver tudo outra vez, em outros países.

6. Aprender a nadar
      O item anterior foi sobre viagem internacional, e esse se relaciona mais com viagem nacional. O Brasil é cheio de praias lindas e apesar de não gostar muito dessa coisa toda de praia, sol, verão e areia, quero muito conhecer algumas praias brasileiras específicas e só que tem um problema: eu não sei nadar!
      Pra me sentir segura na água e não passar vergonha na frente das crianças, minha meta é aprender a nadar. Não olimpicamente, óbvio, mas fazer aulas e aprender pelo menos o básico.

7. Aprender inglês
      Já estou fazendo o curso de inglês desde outubro de 2014. Parei por alguns meses de 2015 {não disse que eu relaxei?}, retomei no final do ano e espero terminar em 2016. Sei que preciso me dedicar mais, faltar menos {hehe} e essa é uma das metas do ano, afinal, disso depende o sucesso e o bom aproveitamento de minhas viagens futuras.

  ****************
      Claro que ainda tenho outras metas, mas se for escrever todas o post vira um livro. haha
No próximo post vou contar minhas estratégias para conseguir realizar todas as minhas metas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...