sábado, 24 de outubro de 2015

O dia do Dentista e o meu {ex} Medo

      Quem tem medo de dentista?
      Começo o post com essa pergunta pois por muitos anos minha resposta seria SIM. Hoje a resposta já mudou...
      Há alguns anos conheci a minha dentista, que é sim a melhor do universo e após muitas conversas e muitas idas ao seu consultório, o medo que eu sentia foi se desfazendo. Para ajudar a superar qualquer medo eu acredito que a primeira coisa a ser feita é conhecer o assunto. Um dia antes de alguma consulta eu fui para o Google pesquisar algo que pudesse me ajudar a superar esse medo tão grande e foi aí que conheci o site "Medo de Dentista", que é escrito pela dentista Ana Paula Tokunaga. Acho que em algumas horas devo ter lido quase o blog todo, que é muito bom, com textos muito interessantes e esclarecedores.
      O post que eu recomendo para todos é o 100 motivos para não ter medo de dentista. Foi o texto mais bacana que eu li e me ajudou muito mesmo. Além do texto, recomendo também a leitura dos comentários, pois neles muitas dúvidas são respondidas pela dentista {muitas mesmo}. Outro site que conheci nesse período foi o Odontodivas, e através dele cheguei à fanpage da OdontoDiva da Depressão, uma página que mistura odontologia e humor {Sem esquecer o Blush}. Virei fã da Juliana Lemes e descobri que ela é de Resende/RJ, uma cidade próxima à minha terrinha Barra do Piraí!
     Bom, depois de muita leitura era a hora de praticar. Na hora marcada eu estava lá com medo, obvious! e começamos o tratamento. Como eu tinha um medo absurdo, alguns aspectos foram essenciais para que eu conseguisse superá-lo:
1 - A melhor dentista do universo: tá bom, talvez ela não seja a melhor do universo é sim, mas é a melhor no meu universo cheio de temores, e é isso que importa. Ela me passa muita segurança e tranquilidade, e você precisa confiar no seu dentista de olhos fechados muitas vezes, de olhos fechados literalmente. Como ainda não confio muito nos outros dentistas {será que um dia isso vai acontecer? Assistam os próximos capítulos dessa novela}, percorro os 270 km que nos separam quando preciso de uma ajuda odontológica. Parece loucura, mas é a minha vida ou o meu medo...
2 - Feche os olhos: pra mim isso funcionou muito bem. Lá dentro do consultório da minha dentista tem uma TV posicionada bem diante do paciente, então, não por acaso, acaba sendo uma distração, mas em muitos momentos eu fiquei de olhos fechados pois "o que os olhos não veem o coração não sente", não é mesmo? Eu achava melhor nem ver todos aqueles instrumentos que despertam mais medo na gente.
3 - Atendimento rápido: lembro que a dentista da minha infância sempre colocava todos os instrumentos naquela bandeja depois que eu já tinha me sentado, e fazia isso tirando um por um em câmera lenta. Aquilo era uma tortura, os cinco minutos de ansiedade mais eternos do mundo. Minha dentista atual conta com o apoio da auxiliar para deixar tudo prontinho e pular essa fase torturante. Além disso, não fica demorando pra começar a fazer o que tem que ser feito, só o tempo de ouvir minhas queixas ou não. E o tempo de atendimento também não é muito longo e quando me dou conta, já posso ir embora e voltar na semana que vem. Não ficar uma hora lá dentro também ajuda a diminuir o medo...
4- Frequência: a época em que comecei a perder o medo absurdo que sentia foi justamente a época em que fiz um tratamento mais longo, em doses homeopáticas. Eu ia lá uma vez por semana, durante uns três meses e a cada dia ela fazia um pouquinho, então era bem rápido. Ir lá e saber que seria rapidinho também foi muito bom e aos poucos isso fazendo com que eu me sentisse mais segura. 
      Hoje vou de seis em seis meses ou até menos, para ver se está tudo certo e não deixar essa coragem morrer dentro de mim. Foi muito difícil superar o medo, muitas vezes eu liguei pra desmarcar a consulta, pensei em sair correndo da sala de espera só que, pesquisando, buscando conhecer o assunto e tendo uma dentista de confiança, consegui vencer tudo isso. Leva algum tempo, mas acontece.
      Amanhã é comemorado o dia Nacional do Dentista e quero desejar muito sucesso e felicidades sem fim para essas dentistas incríveis:
* Julianne, a minha dentista preferida no universo, compreensiva e com muita paciência pra aguentar meu mimimi {porque eu sei que precisa ter paciência para lidar com os temores alheios}.

* Ana Tokus pelo excelente trabalho de "conversar" e ajudar tantas pessoas com medo através do seu site maravilhoso. Tudo que eu li no "Medo de Dentista" foi muito válido pra mim e acredito que pra todos os outros leitores também.
* Juliana Lemes, a Odonto Diva Deprê, que eu sigo, curto demais e virei fã. #PassaBlushNessaCara
      Hoje o  meu objetivo aqui foi conversar sobre o  Medo de Dentista e contar um pouquinho das minhas experiências e de como construí essa coragem que hoje eu tenho para enfrentar aquela cadeira onde ninguém gosta de estar. Não é fácil superar esse medo louco e irracional, mas também Não é impossível!
Procure um dentista que te passe essa segurança. conte seus medos e confie!

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

O que Eu Vi de Diferente no México

     Pra terminar os posts da viagem ao México {que eu sei que pareciam não ter fim!} vou contar algumas das coisas que mais me chamaram a atenção durante minha visita ao país da Maria do Bairro {Novela essa que será reprisada no SBT a partir da próxima segunda, 19}. Vamos lá?

1- Comida apimentada
    Como falei nesse post, a pimenta reina absoluta pelo México.

2 - Descarga dos Banheiros Públicos
    Logo no aeroporto já procurei um banheiro e fiquei como uma louca procurando o botão de acionamento da descarga. Como assim, cadê???
   Gente, é super legal. Lá a alavanca de acionamento da descarga fica ao lado do vaso e acionada com o pé. Isso mesmo, com o pé. É diferente, mas é incrível! Queria que fosse assim no Brasil também...

3- Policiamento
     Eu utilizei muito o metrô e sempre via policiais em todas as estações. Em uma das vez esse policiamento estava mais ostensivo e cheguei até a ter minha mochila revistada por uma policial em uma catraca. Em outro momento, vi alguns policiais contento um homem sei lá por qual motivo, enfim. Achei que, apesar de parecer um lugar perigoso, eu estava em um local seguro e a polícia de lá conseguiu me passar essa sensação de segurança, não só nas estações de metrô, como em todos os locais públicos.

4- Preço dos itens de supermercado
     Como fui todos os dias ao supermercado, consegui analisar bem os preços e tive uma sensação linda de comprar tudo o que eu queria sem sentir que eu estava sendo roubada {e na verdade eu não estava mesmo!}.
   Uma das minhas maiores surpresas foi o Demaquilante da Nivea que trouxe de lá. Comprei pelo equivalente a R$13, dez reais a menos do que o preço cobrado por esse mesmo produto aqui no Brasil. Não fiquei analisando tudo, mas pelo que vi, sinto vontade de chorar com o valor que pagamos em tudo aqui no Brasil. É uma triste realidade.

5- As crianças em locais públicos
As crianças ficam amarradas aos pais através daquelas mochilas coleiras quando vão aos locais públicos, como o parque ou zoológico, por exemplo, e isso me pareceu algo muito comum por lá, sendo inclusive muito vendidas essas tiras lá dentro do parque mesmo.
    Há quem fique horrorizado com a ideia de colocar algo como uma coleira em uma criança, mas acho que horrível mesmo seria perder um filho no meio de uma multidão. Não tenho filhos, ok, porém sei o quanto é difícil passear com crianças pequenas em lugares lotados assim, como um parque ou zoo simplesmente porque as crianças não querer andar de mãos dadas. Sei também que é no milésimo de segundo que você pisca que a criança some do seu campo de visão, por isso penso em quantas crianças ainda estariam com seus pais se estivessem utilizando esse aparato esquisito. Quanto desespero poderia ser evitado. Neurótica como sou, acho que usaria sim porque por mais que você fale, explique e repita, as crianças não tem noção de perigo!

6- Brasileiros são bem-vindos
    Logo quando cheguei no hotel, sem saber falar espanhol e falando um inglês mais ou menos, o gerente perguntou de onde eu era: Brasil, falei, e logo ele abriu um sorriso.
    Eu um outro momento, quando comprava o ticket para o trem ligeiro, um senhor que me ajudou com a maquininha do ticket também perguntou e abriu um sorriso simpático quanto soube que eu era brasileira.
    O que eu já tinha lido sobre os brasileiros serem bem recebidos pelo mundo está começando a parecer verdade. As pessoas tem uma simpatia natural por brasileiros. Quando eu andava pelas ruas do México sempre recebia muitos olhares fixos e curiosos dos nativos, como se estivesse escrito "Made in Brazil" na minha testa hahaha Na verdade fui percebendo que meu tipo físico era bem diferente das mexicanas, que possuem traços meio indígenas: pele morena e cabelo escuro e liso. Eu estava destoado da multidão.

7- Novelas mexicanas não representam a população
   Assim como no Brasil, as novelas mexicanas não representam a população. Explico. Aqui no Brasil, a maior parte da população tem a pele negra ou morena, e o que vemos nas novelas? A maioria dos atores brancos. Acho que isso está mudando, mas existe.
    Nas novelas mexicanas também vemos a maioria dos atores brancos, mas o que vi nas ruas foi uma população que em sua maioria esmagadora tinha traços indígenas bem fortes.

8 - As pessoas Fumam em lugares fechados
    Foi bem chocante chegar na recepção do hotel e ver três pessoas fumando dentro da mesma sala. Confesso que fiquei com aquela sensação de "eles não podem fazer isso", afinal de contas, aqui no Brasil é proibido fumar em locais fechados. É algo comum por lá, mas que causa esse "choque" nos brasileiros.

     Bom, eu amei tudo isso que eu vivi no México. É um dois lugares que eu recomendo no mundo.Vá. Conheça. Divirta-se! O México é lindo, apimentado e muito colorido.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

O Dia do Professor e A Minha Gratidão

      Hoje é comemorado o Dia do Professor e eu não poderia deixar de fazer uma pequena homenagem a essas pessoas que me inspiraram e ensinaram tanto.  As primeiras palavras na alfabetização, o gosto pela escrita, o amor Biologia, a curiosidade em saber mais sobre a História do mundo e os sonhos com mapas. Na verdade eu não gostava de Geografia ~confissões da Jéssica~ mas hoje em dia não posso passar perto de um mapa que já quero pra mim rs
      Professores do Jardim, da escola, do ensino médio, do técnico, da faculdade. Hoje quero dizer "Muito Obrigada!" a todos eles que ajudaram a formar quem eu sou hoje.
A leitora.
A escritora.
A sonhadora.
A profissional.
      Agradeço também aos meus alunos que um dia me fizeram estar do outro lado, vivendo essa aventura apaixonante que é ser professor!

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Os Presentes do Sorteio e As Novidades

      Ontem a Juliana, ganhadora do Sorteio de Aniversário do blog, postou as fotos dos presentinhos que enviei e eu queria dividir com vocês, afinal, foi o primeiro sorteio do Sonhando com Mapas.
     Quero agradecer novamente a todos que participaram e quero contar uma novidade: já estou planejando o próximo Sorteio. Aguardem e acompanhem o Blog para ficar por dentro de tudo isso.
        Nesses dias estou começando a fase de "planejamento" da minha festa de aniversário. Já estamos praticamente no meio do mês de outubro e faltam apenas dois meses para 18 de dezembro, o meu dia. Estou buscando fornecedores e ideias. O tema será Volta ao Mundo, que tem tudo a ver com o ano incrível que tive, com a temática do meu blog, com os objetivos da minha vida... em breve vou postar fotos das coisinhas que já comprei. Espero que seja uma festa incrível, com os amigos por perto!

terça-feira, 13 de outubro de 2015

TAG: Complete a Frase

     Oi gente linda!
     Fiquei meio sumida no fim de semana pois passei dias incríveis com a família e até jogando bola com os sobrinhos haha
     Fui indicada pela Menina Segredo para responder a "TAG: Complete a Frase" e o desafio foi aceito.  Vamos lá?

Sou muito: amiga.
Não Suporto: pessoas preconceituosas.
Eu Nunca: fiz uma tatoo.
Eu já briguei: com uma pessoa que se tornou  uma de minhas melhores amigas.
Quando Criança: eu não tinha um bichinho de estimação.
Nesse exato momento: estou online rs
Eu morro de medo: de não conseguir realizar meus sonhos.
Eu sempre gostei: de festas de aniversário.
Se eu pudesse: acabaria com a miséria que existe no nosso país.
Fico Feliz: com os abraços apertados e beijos babados dos meus sobrinhos Juju e João.
Se eu pudesse voltar no tempo: viveria novamente todas as aventuras com minhas amigas da adolescência.
Adoro: abraços quentinhos.
Quero muito viajar para: Londres!
Eu preciso de: Deus ao meu lado. Sempre!
Eu gosto de: viajar e descobrir um mundo novo em cada lugar.

É isso! Espero que tenham gostado de me conhecer mais um pouquinho através dessa TAG.

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

As aulas de Inglês e os Erros Frequentes

       Você que acompanha o blog já deve ter percebido que meu sonho de vida é conhecer o mundo todo, ou pelo menos alguns países que são os cenários perfeitos dos filmes que passei a adolescência assistindo. Quando comecei a ver que esse sonho estava prestes a se tornar realidade, percebi que além de passaporte e planejamento, eu precisava aprender inglês. Não tive oportunidade de fazer um curso quando eu era criança ou adolescente, mas se você tem essa oportunidade hoje, aproveite-a, pois é sempre bom aprender algo novo, principalmente se for o idioma que abre as portas do mundo pra você.
       Veja aqui embaixo os erros mais comuns de quem está começando a aprender inglês. 

       Atualmente, aprender outra língua é mais acessível do que na década de 90, quando a informação era mais restrito ao público. Encontrar um curso de inglês para iniciantes ideal que atenda às necessidades do aluno exige, primeiramente, a escolha da metodologia e material adequados, uma vez que é este sistema que garante o sucesso da aprendizagem. 
     Quanto mais interativo e dinâmico, melhor. Professores nativos dão completo suporte para o aluno, e o inglês quando empregado de acordo com as necessidades de comunicação do cotidiano, é assimilado de maneira mais natural e eficiente. Profissionais compreendem a necessidade de investir em um bom curso de inglês para iniciantes, especialmente no atual cenário econômico: enquanto o dólar opera em alta, muitos aguardam um momento mais favorável para realizar um intercâmbio.

       Inglês para iniciantes: erros frequentes
       Confira as mancadas mais presentes do dia a dia de quem está começando a aprender inglês:
  • Mente aberta: deixe o sistema da língua portuguesa de lado e esteja aberto às particularidades do outro idioma. Um exemplo clássico da língua inglesa é a colocação de adjetivos diante de substantivos, mecanismo que faz parte do sistema daquela língua. Solte-se e pense em inglês o máximo que puder!
  • Outro erro comum é trocar o pronome possessivo your no lugar de his ou her. Para formular corretamente a frase "Ele está com sua mulher (a mulher dele)": He went with his wife, e não He went with your wife. Importante: He went with your wife não está errado, é apenas ambíguo: pode se tratar da mulher do sujeito da frase ou de quem está perguntando.
  • Usar to have para informar idade. Em inglês, usa-se o verbo to be (ser, estar) para idade, e não o verbo ter. O correto é I´m 33 years old ou apenas I´m 33. Confundir o to have com there be também é outro erro frequente, pois em português usamos o verbo "ter" no sentido de "existir". Por isso, o correto é falar "There is a monster under the bed", e jamais "Have a monster under the bed"
     Língua universal e idioma oficial de 53 países, o inglês está presente no dia a dia de todas as pessoas do planeta. O curso de inglês para iniciantes deve oferecer um bom ambiente de aprendizado, material didático de qualidade e metodologia testada e aprovada. Referência em ensino de idiomas, o CCAA conta com uma rede de aproximadamente 800 unidades espalhadas pelo país, oferecendo curso de inglês com um método de ensino exclusivo.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

O Ginecologista e o Outubro Rosa

      O Outubro Rosa é um movimento internacional que visa ao estímulo à luta contra o câncer de mama. Essa ação iniciou-se em 1997, nos Estados Unidos, e foi ganhando o mundo como uma forma de conscientização acerca da importância de um diagnóstico precoce e de alerta para a grande quantidade de mortes relacionadas com essa doença.
     Normalmente a doença é diagnosticada em exames de rotina quando se percebe um nódulo na região dos seios. Entretanto, muitas vezes, os nódulos não podem ser sentidos, sendo, portanto, fundamental a realização de exames de imagem. O exame mamográfico é o principal exame realizado para diagnóstico e deve ser feito por mulheres entre 40 e 69 anos de idade.
    O autoexame das mamas era bastante recomendado como forma de detecção da doença, entretanto, em virtude da dificuldade de algumas mulheres de entenderem a anatomia do órgão, falsos resultados eram obtidos. Nódulos pequenos podem não ser sentidos, o que pode causar a falsa impressão de que a mulher está saudável e retardar a consulta ao médico. Todavia, é importante ressaltar que o autoexame, junto a exames periódicos, pode salvar vidas.
     Para fazer parte dessa campanha também, hoje venho trazer esse assunto para o blog. Como tenho leitoras de todas as idades, decidi abrir um pouco mais esse leque e falar também sobre a importância de procurar regularmente um ginecologista. Que tal você aproveitar que estamos no Outubro Rosa e atualizar seus exames ginecológicos?
      Bom, eu fiz isso no último dia de setembro e já estou em dia com minha saúde, mas tenho amigas que já me confidenciaram que há anos não procuram um ginecologista e outras que foram pela primeira vez já adultas. Não importa se você já foi ou não e nem a sua idade: sempre é tempo de começar a se cuidar e fazer disso uma rotina na sua vida.
      Como me mudei há um ano e meio tive que encontrar novos médicos aqui em São José e, com a indicação de uma amiga daqui, encontrei um excelente ginecologista que inclusive me receitou uma fórmula incrível para enxaquecas que mudou minha vida. Sério. Larguei o Cefalium e estou muito melhor {e até mais feliz, sem dor}. Eu estava sofrendo com essas dores, já tinha ido até para o hospital durante uma crise e a solução estava tão perto de mim, em uma consulta de rotina com o ginecologista!
      Quero te incentivar a fazer algo em prol da SUA saúde durante esse mês: marque sua consulta. Se você está em dia com os exames ginecológicos, parabéns. Se tem algo mais te incomodando e você vem "empurrando o problema com a barriga", seja uma dor nas costas que dia ou outro aparece, dores de cabeça frequentes, queda de cabelo inexplicável, seja o que for, tire algum dia desse mês e busque a ajuda de profissional. Cuide-se!
   

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Xochimilco e La Ciudadela - México

       Hoje vou deixar algumas fotos de dois lugares bem legais que visitei durante minha viagem ao México: Xochimilco e La Ciudadela.
       A região de Xochimilco fica localizada a 20 Km do centro da Cidade do México e para chegar lá fomos até a estação de metrô Tasqueña, no final da Linha 2, e lá subimos no “Trem Ligeiro” {que ao contrário do nome, não é ligeiro}, seguindo também até sua última estação, que fica perto de alguns pontos de embarque das "trajineras". 
       Da estação até o local de embarque das trajineras tem um boa caminhada, mas com várias placas e alguns guias turísticos locais que vão indicando o caminho.
       O lugar não é tão bonito quanto eu imaginava pelas fotos que já tinha visto e confesso que fiquei decepcionada, mas valeu por eu ter encontrado uma trajinera com o meu nome!


      La Ciudadela é um centro comercial de artesanatos onde encontra-se de tudo: vidros, cerâmicas, carteiras, bolsas, chaveiros, quadros, mantas... vários artesanatos locais por um preço bem bacana. Comprei algumas lembrancinhas e uma coleção da turma do Chaves feita em madeira, que na verdade são ponteiras de lápis.


       Dois lugares incríveis que conheci!



sábado, 3 de outubro de 2015

Um Ano Inesquecível - #LivrosQueAmo

     Hoje vou fazer a primeira resenha aqui no blog e escolhi um livro incrível: o "Um Ano Inesquecível", de quatro autoras que escreveram contos apaixonantemente inesquecíveis.
     Acompanhei pelas redes sociais e pelo blog da Bruna Vieira  que esse livro estava sendo lançado e fiquei curiosa. Eu nunca li nenhum livro de nenhuma das autoras do UAI {apesar de já ter visto os títulos nas livrarias}, talvez por serem voltadas para um público adolescente e eu ter passado ~só um pouquinho~ dessa fase, mas achei que agora seria um bom momento para conhecer o trabalho delas. Quando eu era adolescente lia mais livros técnicos e de assuntos específicos do que histórias, mas amo histórias bem contadas...
     Comprei meu UAI na Bienal do Livro {e fiz um post sobre minha ida à Bienal}, depois de disputar a atenção da vendedora com várias adolescentes e consegui até um autógrafo {Jéssica tiete} da Babi Dewet, que estava no stand naquele exato momento. Parecia um sinal! hahaha  Além do livro, pedi a moça do caixa assim mesmo, na cara dura que me desse um marcador de páginas também ~porque a tietagem precisava ser completa, né?~. Peguei autógrafo da simpática Babi, tiramos fotos e voltei pra casa feliz com meu livro novo e que foi adquirido num momento todo legal.
      O livro é dividido em quatro histórias, que acontecem em cada uma das estações do ano:

     Enquanto a Neve Cair { Paula Pimenta }
     Eu li seguindo a ordem do livro e essa foi a primeira história. Confesso que já me arrependi de nunca ter lido "Fazendo o meu filme" ou "Minha vida fora de série" da Paula, pois eu amei completamente a história dela no UAI. Virei fã antes mesmo de saber como terminaria o romance de Mabel e Benjamín, sem contar a vontade que fiquei de conhecer o Chile {#jessicaviajante #jessicaturista}, que era minha primeira opção de férias nesse ano {mas acabei indo para o México}.
    Agora vou comprar os livros da Paula, porque virei fã {#jessicafã}. Adorei o texto e o jeito com que ela escreve. Minha vontade era que a história não acabasse...

     O Som dos Sentimentos { Babi Dewet }
     Como não amar uma história cheia de música e que acontece numa cidade tão querida como São Paulo? E, sinceramente, quem não gostaria de encontrar um músico lindo que te mostrasse um mundo novo? Anna Julia é uma garota de sorte, meio confusa e atrasada, mas que viveu um amor surpreendente com João Paulo. Achei que essa é uma história escrita para adolescentes mais "maduros", que já estão quase saindo da adolescência, assim como a personagem Anna Julia, e fiquei super curiosa pra ler a trilogia "Sábado à Noite" da Babi.

      A Matemática das Flores { Bruna Vieira }
     Imaginei cenários completamente iluminados pela luz do sol ao ler a história de Jasmine e imaginei aquelas cenas acontecendo na escola onde estudei. Eu acredito que as leitoras teen se identificam bastante com a Jasmine por conta do sofrido relacionamento que ela tem com os colegas de classe, as rivais na escola que fazem tudo para humilhá-la, as dificuldades em matemática {Quem nunca? Eu sempre!} e todas as dúvidas presentes na cabecinha de uma garota nessa idade.
   Gostei bastante e achei o estilo dessa história bem parecido com os textos que a Bruna escreve em seu blog: um texto muito fácil e gostoso de ler, além de nos deixar com vontade de saber o resto da história de Jasmine e Davi.

      Amor de Carnaval { Thalita Rebouças } 
     Já tinha visto nas livrarias alguns títulos da Thalita: a série de livros "Fala sério!", " Ela disse, Ele disse" entre outros, mas nunca li nenhum justamente por serem direcionados aos adolescentes {coisa que eu não sou faz tempo!}, então acho que os assuntos são meio ultrapassados pra mim hoje {a velha falando}. Acredito que alguns dos livros da Thalita tenham uma pegada informativa, com conselhos sobre os diversos assuntos que povoam as cabecinhas das meninas e como gostei demais do jeito bem informal e divertido com que ela escreve, pretendo ler {todos, óbvio!} e emprestar para minha sobrinha quando ela for adolescente.
    Gente, eu tenho dificuldade em emprestar coisas, sério. Acho que vou comprar pra mim e, no futuro, compro pra ela. haha Só sei que quero a coleção completa da Thalita na minha estante {coisa que eu também ainda não tenho haha}.
     Depois de ler essas quatro histórias tão emocionantes virei fã das autoras. Sério. Acho que esse livro é uma ótima oportunidade de conhecer um pouco da escrita de cada uma delas e a partir daí, virar fã ou não. Foi minha melhor escolha na Bienal desse ano. Se você já é fã delas, vai amar. Se ainda não é, vai entrar para o lado fofo da força!

       A minha história preferida? 
    Não tem uma preferida, pois todas são incríveis e distintas. Entretanto, minha personagem preferida é a Anna Julia (O Som dos Sentimentos). Em algum momento da vida ela se vê gostando de algo que ela sempre julgou ser uma perda de tempo: a música. Talvez eu tenha mudado tanto durante esses anos que às vezes me pego pensando assim, tentando saber o motivo de eu ter perdido tanto tempo sem ouvir essa banda, ou experimentar essa comida, ou ter tal atitude.

      Minha autora preferida?
     Fala sério, Jéssica! Que pergunta é essa? Depois de terminar esse livro, existe um empate técnico no meu coração entre a Paula e a Thalita. As duas conseguiram, através dessas histórias, despertar em mim a curiosidade de conhecer suas outras histórias. rsrs
     Bom, eu amei o "Um Ano Inesquecível" e recomendo para quem gosta de romances de cinema!

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

O Mês de Outubro e O Meu Inglês


E chegou o mês de outubro... já consigo até ver as luzinhas do Natal daqui! haha
      Como passou rápido, não acham?
      Esse ano foi incrível pra mim. Algumas coisas ruins {bem ruins} aconteceram, mas outros maravilhosas também,  mas vou deixar pra chorar só em dezembro rsrs  e fizeram muito bem pra mim.
      Esse clima natalino que começa a surgir me trazem uma sensação tão boa...  e esse ano estou com um nível de felicidade inexplicavelmente maior. Vivi tantas coisas lindas, que as ruins acabam perdendo a importância.
     Na semana passada eu voltei com as aulas de inglês. Ainda estou me "readaptando", ainda meio bem perdida, ~boiando~ nas aulas, mas com muita vontade de aprender mais e mais.
      Já falei aqui que tenho uma amiga nos EUA? Então, a cada conversa com a Amanda {via messenger} me sinto mais confiante e tenho mais vontade de aprender para escrever melhor, entender e me fazer expressar bem, só que ainda me sinto muito insegura para falar... mas isso é uma questão de tempo e prática, eu sei. Ontem trocamos mensagens e descobri que fazemos aniversário pertinho: eu no dia 18 e ela no dia 20 de dezembro, porém ela é mais nova que eu. rsrs   É tão louco pensar que o mundo é tão imenso e ao mesmo tempo você pode conversar com alguém que mora longe e senti-la tão perto, pensar que se você entrar num avião agora poderá ter alguém com alguns balões e um cartaz com o seu nome escrito, te esperando em algum aeroporto do planeta.
     Durante esses últimos meses tenho pensado muito sobre essas coisas: amizade, distância, saudades, coragem. Reencontrei minhas amigas de infância e vi que a distância não muda o que nós somos e a amizade que nós temos! Conheci muitas pessoas nessa mudança de cidade e algumas se tornaram grandes amigas. Assim, de uma hora pra outro. Sem planejar. Sem esperar. Porque amigos a gente reconhece! Parece que eles estão lá, a vida inteira, esperando para serem nossos amigos, apenas esperando para serem encontrados e reconhecidos!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...