segunda-feira, 4 de março de 2019

Uma volta na London Eye

Publicado em 17 de janeiro de 2017. | Atualizado em 04 de março de 2019. 

Local: London Eye, Londres
Fui em: Setembro/2016
Entrada: paguei £40 no ticket "London Eye + 1 more attraction" e fui no Sea Life também.

        Sempre que pensava em ir para Londres eu pensava também em ir na London Eye, a roda-gigante que foi projetada para marcar a transição do milênio em Londres e foi inaugurada no dia 31 de dezembro de 1999.
       O ingresso para a London Eye dá direito a assistir um filme em 4D, com a duração de menos de 5 minutos e pode ser visto antes de subir na roda gigante. Você não dá nada por esse filme, parece aquelas coisas chatas antes de entrar em algum lugar, mas é bem legal essa experiência. A gente fica em pé e o ambiente vai mudando conforme o filme.
      A London Eye tem 135 metros de altura, 32 cápsulas com capacidade para 25 pessoas cada e demora 30 minutos para fazer uma volta completa.
        Eu fui em uma segunda-feira e não tinha fila, ao contrário do final de semana que estava lotado. Então, se você quiser ficar em cápsulas mais vazias e tem mais dias na cidade, deixe para ir durante a semana. Entrei em uma cápsula com outras 6 pessoas e consegui fazer fotos bem legais. Amei a experiência! Mais um sonho realizado para a conta!
       Vou deixar algumas fotos que fiz nessa viagem linda no verão de 2016. Essa primeira quem tirou foi a fotógrafa Carla Costelini, com quem fiz um ensaio maravilhoso e um post (aqui) contando os detalhes. As demais fotos são minhas.
   
     




  

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Casa de Anne Frank

Local: Anne Frank House, Amsterdam
Fui em: janeiro/2018
Entrada: 10 euros
Site: https://www.annefrank.org/en/museum/
Foto do site
       Quem leu o livro "O diário de Anne Frank" já sabe do que, apesar do nome, não era nesse local que Anne morava. Esse era o prédio onde ficava o anexo onde ela, sua família e alguns conhecidos se esconderam durante a Segunda Guerra Mundial e onde ela escreveu seu diário.

       No dia 1º de agosto de 1944 Anne fez suas ultimas anotações no diário. Dias após, as pessoas do anexo foram traídas, denunciadas e levadas para um campo de concentração, onde Anne, sua irmã Margot e sua mãe morreram. Apenas o pai dela, Otto Frank, sobreviveu e decidiu publicar o diário de Anne, tornando-a uma famosa escritora, bem mais famosa do que ela talvez sonhasse que seria.

       O diário original e os cadernos de Anne estão expostos nesse museu. Durante a visitação temos acesso aos cômodos do anexo e é incrível poder visualizar o que eu já imaginamos lendo o livro. Cada detalhe, cada sentimento que aquele lugar nos inspira. Vale a pena pra qualquer pessoa, mas pra quem ama o  livro, é incrível.

       É importante lembrar que eu não tinha planejado muito minha estadia em Amsterdam, logo, não tinha comprado ingresso para a Casa da Anne. No primeiro dia pela cidade passei perto do museu e descobri que não vendia ingresso "na porta" ou bilheteria, só online, mas sabia que era super concorrido e meio que perdi as esperanças. Assim que cheguei no Airbnb onde estava hospedada, entrei no site e, advinhem: tinha 1 (UM, apenas UM) ingresso disponível para o dia seguinte. Comprei e consegui fazer essa visita. <3 Foi um presente conseguir visitar esse lugar!




terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Desde 27 de janeiro de 1945

        Auschwitz foi o maior e mais terrível campo de extermínio do regime de Hitler. Em suas câmaras de gás e crematórios foram mortas pelo menos um milhão de pessoas. 
        No auge do Holocausto, em 1944, eram assassinadas seis mil pessoas por dia. Auschwitz tornou-se sinônimo do genocídio de judeus e tantos outros grupos perseguidos pelos nazistas, como ciganos, poloneses, comunistas, homossexuais, prisioneiros de guerra soviéticos, testemunhas de Jeová e deficientes físicos e mentais .

As tropas soviéticas chegaram a Auschwitz na tarde de 27 de janeiro de 1945, um sábado. 

        Todos os anos, no dia 27 de janeiro, celebra-se o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. A data faz referência à liberação, pelas tropas soviéticas, do Campo de Concentração e Extermínio Nazista Alemão de Auschwitz em 1945 e foi definida pela Assembleia Geral das Nações Unidas.

      O Holocausto foi uma prática de perseguição política, étnica, religiosa e sexual estabelecida durante os anos de governo nazista de Adolf Hitler.  O genocídio nazista contra os judeus foi parte de um conjunto mais amplo de atos de opressão e de assassinatos em massa cometidos pelo governo nazista contra vários grupos na Europa. 

     Na Alemanha, dizer que o Holocausto é mentira, que não existiu o extermínio em massa nos campos de concentração e câmaras de gás, pode dar pena de prisão ou multa, desde que o Código Penal alemão foi modificado em 1993.
 ......................................

       Ainda não fui ao Campo de Auschwitz, apenas no Campo de Sachsenhausen. Gosto de ler sobre a Segunda Guerra e vou deixar algumas dicas de livros e filmes para quem quiser saber um pouco mais dessa parte terrível da História da humanidade.

*Todas as indicações eu já li/assisti :) É só clicar no nome que vai abrir um link.
 
Livros:

O diário de Anne Frank  -  escrito pela própria Anne


O tatuador de Auschiwtz  de Heather Morris

Os bebês de Auschwitz de Wendy Holden


Irmãs em Auschwitz de Rena Kornreich Gelissen

Eu sobrevivi ao Holocausto de Nanette Blitz Konig


Filmes:


O Coração Corajoso de Irena Sendler - 2009